Filme e Reflexão: Mr. Nobody (Sr. Ninguém)

 Dirigido por: Jaco Van Dormael
Com:  Jared Leto, Sarah Polley, Diane Kruger
Gênero: Drama , Fantasia , Romance
Nacionalidade: Bélgica, Alemanha, Canadá, França

Que vida você teve? Cada escolha que fazemos é um caminho sem volta. 
Não podemos voltar. Por isso é difícil fazer escolhas. É preciso fazer a escolha certa. Enquanto não se escolhe, tudo permanece possível - Mr. Nobody.
A vida é um conjunto de escolhas, que às vezes achamos ter sob controle, gastando tempo pensando em todas as possibilidades, fantasiamos e planejamos o futuro. Enquanto os sonhos são dimensões que criamos, onde podemos construir com precisão os caminhos que traçamos e determinar suas consequências.

Ninguém gosta de sair do sonho e se deparar com a realidade, Mr. Nobody não é diferente. E se houvesse a possibilidade de fazer de cada escolha uma vida - lembranças tão vivas que se confundem com a realidade?

​​No momento em que temos ciência das nossas ações, ou nos esquecemos das possibilidades infinitas que deixaremos para trás e fazemos uma escolha, ou nos jogamos ao acaso. E qual a probabilidade de nos arrependermos? Qual a possibilidade de querermos voltar no tempo? Ninguém gosta de fazer escolha das quais não tem ciência das consequências, Mr. Nobody pensa assim também.
​​No momento em que temos ciência das nossas ações, ou nos esquecemos das possibilidades infinitas que deixaremos para trás e fazemos uma escolha, ou nos jogamos ao acaso. E qual a probabilidade de nos arrependermos? Qual a possibilidade de querermos voltar no tempo? Ninguém gosta de fazer escolhas sem ter ciência das consequências, Mr. Nobody pensa assim também.​

​​O Principio da Entropia já havia me perturbado quando tive o prazer de ler a "Brevíssima História do Tempo" (Stephen Hawking, 2006). Como ter fé que tudo ficará bem se a ciência garante que o universo tende à desordem? Cada segundo que passa o universo se torna um caos maior e irreversível. A própria viagem no tempo contradiz o principio da entropia: é impossível voltar ​à​ um estado de menos desordem. Mr. Nobody me fez lembrar disto e dos medos envolvidos.

​​O Principio da Entropia já havia me perturbado quando tive o prazer de ler a "Brevíssima História do Tempo" (Stephen Hawking, 2006). Como ter fé que tudo ficará bem se a ciência garante que o universo tende à desordem? Cada segundo que passa o universo se torna um caos maior e irreversível. A própria viagem no tempo contradiz o principio da entropia: é impossível voltar ​a​ um estado de menos desordem. Mr. Nobody me fez lembrar disto e dos medos envolvidos.
Por que lembro do passado, mas não do futuro? - Mr. Nobody

Não podemos lembrar do nosso futuro, pois ele é um caos imprevisível. Mas seria possível trilhar por cada caminho produzido em cada escolha que fazemos? E se eu tivesse partido? E se eu houvesse lhe dito 'oi'? E se eu não tivesse feito aquilo? Para aqueles que temem perder uma possibilidade, cada segundo que vive ou se torna um arrependimento ou se torna uma lembrança a ser ignorada.
Podemos nos amarrar nas possibilidades, temer as escolhas. Mas quem você seria? Qual vida escolheria? Qual o destino que lhe faria mais feliz se pudesse prever todos? Há apenas um caminho a seguir, sem volta, qual seria sua escolha?

​​​​Não há escolhas! Não há respostas! Não se pode ter medo do caminho trilhado.
Não há respostas! Não se pode ter medo do caminho a ser trilhado.​

Tudo poderia ter sido outra coisa e teria o mesmo tanto de significado - Tennessee Williams
​​Mr. Nobody pode ser um filme confuso, talvez sem nenhum sentido. Mas o que é a vida? Caminhos sem volta, os quais temos medo de trilhar. Ninguém gosta de ter que escolher a vida que terá, Mr. Nobody idem. É um filme filosófico, cheio de contradições, mas as mesmas que enfrentamos todos os dias.
Mr. Nobody pode ser um filme confuso, talvez sem nenhum sentido. Mas o que é a vida? Caminhos sem volta, os quais temos medo de trilhar. Ninguém gosta de ter que escolher a vida que terá, Mr. Nobody idem. É um filme filosófico, cheio de contradições, porém, são as mesmas que enfrentamos todos os dias.

​​Há pessoas que dizem que sou indeciso. Mr. Nobody me fez entender que a indecisão é a vontade de viver tantos caminhos quanto os que nos são apresentados. Há quem gosta de não voltar atrás, quem mude de ideia o tempo todo, e quem não se move de forma alguma. Ninguém faz tudo ao mesmo tempo!

22 comentários:

  1. Olá!
    Não conhecia esse filme e fiquei curiosa sobre ele, mesmo que a premissa, como você disse, possa ser confusa. Gosto de filmes que nos fazem refletir e com certeza pretendo assisti-lo, até porque tenho, ultimamente, refletido bastante sobre várias coisas que você abordou no texto. Espero gostar da obra.
    Valeu pela dica!
    Abraços,
    Andy - StarBooks

    P.S. Tem texto 2X. Algo que está inserido no quote e logo abaixo dele se repete.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi uma grata surpresa assistir ao filme. O filme é interessantíssimo e tenho certeza que você se identificará com a história :)

      Depois conte-me o que achou! ;)

      PS: Eu não sou o responsável pela publicação no blog, então o texto acabou sendo postado com uma formatação diferente do que eu planejei.

      Excluir
  2. Nunca tinha visto falar desse filme. E Confesso que não me interessou. Não tenho problema nenhum com filmes filosóficos,mas esse me pareceu pedante.Posso estar enganado...quem sabe um dia.
    Mas a resenha e o post estão ótimos.
    Parabéns pelo blog!

    http://estantelivrainos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Rodrigo!

      Tenho que confessar que o filme é para pessoas que não tem problema com uma forma diferenciada de contar uma história.

      O filme tem uma pegada parecida com Árvore da Vida, embora eu ache que Mr. Nobody seja bem melhor.

      Excluir
  3. Oiii, que filme diferente, não o conhecia. Mas, de certa forma olharia pela curiosidade mesmo.
    Beijos ❤
    Segredosliterarios-oficial.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assista Morgana!

      Pode ser uma experiência ruim ou ser completamente maravilhosa. Acho que vale a pena o risco! É um filme diferente do que normalmente encontramos por aí.

      Beijos!

      Excluir
  4. Oi Eduardo,
    Adoro o Jared! Sua resenha me chamou a atenção porque também sou uma pessoa muito indecisa. Também gostei das reflexões acerca do significado do livro, que muitas vezes passa despercebido quando assistimos.
    Beijos
    relicariodepapel.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não falei disso no post mas as atuações do filme foram excelentes. Se é fã do Jared, não perca a oportunidade!

      E eu arrisco a dizer que você vai adorar o filme e vai se reconhecer na tela, assim como eu!

      Bjos!

      Excluir
  5. Olá, esse é o primeiro post que vejo sobre o filme e, por tudo que você escreve, ele me pareceu interessante e bom para reflexões, assistirei quando puder.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O filme foi uma grata surpresa. É interessantíssimo e cheio de reflexões. Muito mais do que consegui organizar neste post!

      Excluir
  6. Olá , gostei muito de conhecer o filme, parece ser daqueles que te levam a uma autoanalise e reflexão profunda sobre o mundo e até sobre si mesmo. Vou anotar em minhas sugestões de filmes quase não tenho visto muitos além de animação por causa do filhote hahaha.
    Beijos e feliz ano novo!

    Giuliana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Giuliana, pode apostar que esse filme proporciona as mais variadas e profundas reflexões.

      O filme aborda tantas coisas nas entrelinhas que é difícil até controlar nossos pensamentos durante a execução do mesmo.

      Quando ver o filme não esqueça de me contar o que achou ;)

      Beijos e feliz ano novo!

      Excluir
  7. Não vim falar sobre a postagem em sí, mas sim elogiar seu blog de modo geral!
    Que gracinha, ainda não o conhecia! Parabéns viu!

    ResponderExcluir
  8. Olá Eduardo, esse filme parece trazer uma bela reflexão, mesmo que ele tenha uma forma diferente do convencional. Espero conseguiu um tempinho em breve e assisti-lo *-*

    Visite "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir
  9. Oi, Edu!
    Este é um dos melhores textos que li em dezembro! Você não só pegou o filme e destrinchou como refletiu e analisou cada parâmetro como se fosse o personagem principal.
    Ultimamente, tenho apreciado muito filmes e livros cujas histórias tem muita análise filosófica e psicológica (O Demonologista, por incrível que pareça, é um deles), de forma que este filme parece que deveria estar na minha lista 9 e eu já lasquei lá).
    Parabéns de novo pelo texto!
    Até + ver! Nu.
    As 1001 Nuccias | Curtiu?

    ResponderExcluir
  10. Oi Eduardo, tudo bem
    Não sei se irei gostar do filme em si, mas gostei muito da discussão que ele levanta. Na vida realmente não podemos ter tudo, estamos fazendo escolhas o tempo todo. E toda vez que fazemos uma escolha deixamos algo para trás, e ninguém gosta de perder. Gostei muito do seu texto.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi, Eduardo!
    Primeira vez que leio sobre esse filme, achei bem interessante o contexto e as discussões abordadas. Se tiver oportunidade vou ver sim! ;)

    Beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
  12. Oie
    Não conhecia o filme mas parece abordar um assunto legal e interessante, vou ver se consigo assistir e espero gostar, bela resenha

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bem? Eu lembro que um amigo tinha me falado sobre esse filme, mas nem sei porque não assisti ainda. Enfim, sua opinião do filme me fez querer dar uma chance para o mesmo e depois vou dar uma procurada.

    Beijos
    Leitora Sempre

    ResponderExcluir
  14. Olá! Não conhecia esse filme, e gostei bastante da premissa. Achei legal as reflexões que ele nos faz ter. É bem complexo e interessante. Abraços!

    http://livrosepergaminhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Opa, tudo bem? Ainda não conhecia o filme. Curti bastante sua analise reflexiva sobre ele. Muito bem escrita e completa. Vou colocar o filme na minha lista de 2016 e espero curtir também.
    Abraços
    Academia Literária DF

    ResponderExcluir
  16. Ola. Ja tinha visto algo desse filme mas nunca parei para ler algo e percebi que ele faz parte do genero se filmes e adoreeei! Pretendo ver ele esse mês ainda!Beijão da Lari
    brilliantdiamond-bg.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.