Dois Irmãos de Fabio Moon e Gabriel Bá

Nome: Dois Irmãos
Autor: Fabio Moon e Gabriel Bá
Ano: 2015
Editora: Quadrinhos da Cia
Páginas: 232
Sinopse: Um dos livros mais importantes da literatura brasileira contemporânea, Dois irmãos vem, desde seu lançamento há quinze anos, conquistando novas gerações de leitores. E foi com o mesmo entusiasmo desses leitores que Fábio Moon e Gabriel Bá embarcaram na missão de adaptar o romance de Milton Hatoum para uma graphic novel. Entre os mais premiados da última década, os irmãos quadrinistas vêm igualmente arrebatando fãs e trazendo uma verdadeira legião de leitores às HQs. Suas obras foram publicadas em diversos países, atravessando fronteiras culturais e políticas.
Ao mesmo tempo que preserva a força narrativa de Hatoum, esta adaptação evidencia o talento de Bá e Moon na construção de histórias que alternam entre a tragédia, a delicadeza, a brutalidade e o humor. No traço deles, a vida dos gêmeos Yaqub e Omar ganha novos contornos épicos. A Manaus dos quadrinhos, feita de um jogo de luz e sombras, acolhe este drama que cruza gerações e, seja nos grandes planos ou nos mínimos detalhes, carrega o enredo original de energia e vitalidade.
Quem conhece a obra de Hatoum vai não apenas reencontrar, mas redescobrir com outros olhos personagens marcantes como Domingas, Halim, Zana e Dália. E os novos leitores terão contato com um riquíssimo universo ficcional, um drama que, ao esmiuçar a intimidade e a rivalidade de Yaqub e Halim, lança luz nas frestas das relações familiares, do amor e da história recente do Brasil.
*Resenha feita por mim para o Blog Ler e Imaginar

   Dois Irmãos conta a história de Yaqub e Omar, irmãos gêmeos que sempre tiveram personalidades diferente e foram amados de formas diferentes por seus pais. Yaqub é o mais velho por alguns minutos, após uma atitude agressiva do irmão ele se tornou mais reservado e na adolescência foi mandado ao Líbano, no inicio Omar deveria ir também mas a pedido da mãe (que o tratava com certa preferência) ele ficou. Omar o caçula, sempre foi mimado e protegido demais pela mãe, e o excesso de amor da mãe o fez acreditar que não precisava dar duro, que teria tudo sem precisar se esforçar, e acabou se tornando mulherengo, beberrão, muito agressivo e como o pai vivia dizendo ‘vagabundo’.
Naquela época, tentei, em vão escrever outras linhas. Mas as palavras parecem esperar a morte e o esquecimento. Permanecem soterradas em estado latente, para depois, em lenta combustão, acenderem em nós o desejo de contar passagens que o tempo dissipou.
   O livro é narrado por Nael, filho de Domingas, a índia adotada por Zana e Halim os pais de Yaqub e Omar, e que fazia todos os afazeres da casa, junto com a mãe. E vai contando o passado antes do nascimento dos gêmeos, o presente, e algumas histórias de vida contadas por Halim ou sua mãe, e um de seus maiores sonhos é descobrir quem é seu pai.
   Quando iniciei a leitura do quadrinho me senti um pouco confusa com o traço em preto e branco, mas a cada página me encantava mais pela história dos irmãos, pela natureza do nosso querido amazonas ali retratado em traços tão expressivos, e pela reflexão sobre a vida dos dois irmãos tão parecidos mas separados pelo ódio, uma família que se desestruturou por causa desse rancor, uma mãe que protegia um filho em excesso e tentava controlar sua vida mas que em contraposição deixou o segundo filho sem seus cuidados e terminou sua vida sem o perdão daquele que tanto amava, um pai rigoroso que aprendeu a amar os filhos mas acabou cheio de desgostos, as diferentes raças e religiões convivendo em paz na Manaus de 1950 e o final tão infeliz que não se espera ao ler tamanha obra.
Alguns de nossos desejos só se cumprem no outro. Os pesadelos pertencem a nós mesmos.
   Não consigo dizer se o quadrinho tem algum defeito, apenas sei que amei algo tão bom e tão nosso, tão cheio de expressões e reflexões e contado em uma época que poucos lembram mas que ali já existiu e agora foi eternizado nessa obra tão bonita e que merece ser lida e relida muitas vezes. Uma ficção criada em um pedaço da nossa nação. Me senti orgulhosa por ter escolhido a obra as cegas e ter dado essa sorte de ler algo tão grandioso e famoso (fato que só soube após a leitura) e que eu nunca tinha ouvido falar antes, os traços maravilhosos de Fabio e Gabriel retrataram com perfeição toda a força e poder que a história podia trazer e deixou a leitura ainda mais viva e crível, e pelo amor que coloquei aqui vocês já devem imaginar que eu recomendo demais o quadrinho.

Nota:


8 comentários:

  1. Paac! Eu nunca li essa história, nem o romance nem o quadrinho. Inclusive tenho o romance aqui na minha estante, que troquei pelo Skoob, mas não tenho tido tempo pra ler. Talvez fosse melhor começar pelos quadrinhos, né? O que você acha?
    Super entendo sua confusão com o traço, inclusive acho que a foto que você escolheu para ilustrar isso mostrou muito bem! Gostei muito da sua resenha, muito mesmo. Você consegue dosar muito bem sua opinião analítica com a opinião pessoal, aquela que está ligado ao nosso "gosto". Adoro isso! :)
    Beijo grande.

    ResponderExcluir
  2. Olá lindona,
    Esse livro eu amei. Quero muito ler essa história logo. Entrou para minha lista de livros para ler logo.
    Amei, parabéns pela forma que descreveu a história e o livro.
    Beijocas lindona.

    meumundosecreto

    ResponderExcluir
  3. Oi!!
    Você sempre traz resenhas de livros diferentes e interessantes e eu adoro isso. Não conhecia esse livro.
    Essa HQ mostra o relacionamento entre pais e filhos e isso é interessante, podemos ver como a educação e a criação marcam as atitudes das pessoas.
    Adorei a dica e a resenha, vou ver se consigo ler esse livro.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  4. Oi Paac, sua linda, tudo bem?
    Eu não leio quadrinho faz muito tempo, não conhecia esse também, mas pela história consigo imaginar porque esse livro é tão famoso. Às vezes os pais não têm noção de como podem estragar o futuro do filho e de como esse favoritismo irá refletir no adulto que ele irá ser. Dica mai do que anotada. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Eu não conhecia esse livro, acredita?! Que foda! Sério, adorei a HQ, a premissa é ótima!! Tô curiosa sobre como é a relação de amor e ódio desses irmãos. Eu acho que também ficaria confusa com essa HQ a principio, por conta de ser preto e branco, mas nada que não me acostume depois... Essa tua resenha me deixou com muita vontade de ler essa obra.
    Dica anotada!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Paac, o romance de Milton Hatoum é um dos meus livros preferidos da literatura brasileira. Tenho muita vontade de ler esse QH. Pelo o que você falou na resenha vou amar também. Essa adaptação parece que faz jus à narrativa maravilhosa de Hatoum.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oie Paac, tudo bom? Que resenha maravilhosa! Amei saber tua opinião sobre esse livro, viu. Não conhecia e fiquei bem empolgada para vir a realizar a leitura em breve.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oie
    eu tenho muita curiosidade por esse quadrinho, adoro esses temas mais dramas em hq, sempre que posso eu leio e adorei sua resenha, fico feliz que tenha gostado tanto pois agora estou ainda mais ansiosa

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.