Aristóteles para quem busca a Felicidade de Jean Vanier

Título: Aristóteles para quem busca a felicidade
Autor: Jean Vanier
Editora: Gente 
Ano: 2016 
Páginas: 224 
Skoob: Adicione
Sinopse: Você acredita que nasceu para ser feliz?
Em Aristóteles para quem busca a felicidade, Jean Vanier oferece uma aplicação edificante, contemporânea e prática da filosofia às necessidades e aos anseios humanos. Convidando-o a olhar com novos olhos para teorias de felicidade escritas há dois milênios, Vanier baseia-se no trabalho filosófico de sua juventude assim como examina a base para a filosofia moral moderna e seu papel na vida das pessoas atualmente.
O livro revela ligações úteis entre psicologia, espiritualidade e moralidade: a psicologia vai ajudá-lo a enfrentar seus medos e suas limitações, a espiritualidade lhe dará força e a moralidade vai guiá-lo na escolha de melhores ações – aquelas que vão ajudar a aumentar sua felicidade e, assim, sua humanidade. A combinação desses caminhos de conhecimento e sabedoria dá sentido à vida das pessoas e lhes permite fazer o melhor uso de sua liberdade em seu caminho para a liberdade. Aqui você encontra algumas reflexões simplificadas sobre temas como:
Viver uma vida plena e moral
Basear-se na ética humana
Integrar nossa natureza e nossos desejos com nossas necessidades na sociedade
Integrar as dimensões do corpo e da afetividade

     Aristóteles sempre foi e por muito tempo ainda será um filosofo terror para muitos, principalmente estudantes hahaha, e eu não fui diferente, porém acabei adquirindo um certo “gostar” por esse homem que fez parte da base de toda ciência que temos hoje. E foi exatamente isso que me motivou a solicitar esse livro e ler ele, não tive expectativas nem nada apenas quis tentar, e tentei...
     O livro não é exatamente uma história, mesmo com a mini introdução sobre o autor do livro e um pouco da sua vivência com a filosofia, aqui não temos uma história com inicio meio e fim e devo confessar que mesmo com a linguagem mais atual eu tive muita dificuldade com esse livro, mesmo em sua essência “capturada”, pra mim Aristóteles ainda é um filósofo de difícil compreensão, o que tornou minha experiência com esse livro um pouco negativa. Mas me deixem explicar, meu problema não foi o livro em si, mas um autor ter utilizado essas teorias pro nosso cotidiano, eu nunca compreendi bem o filosofo e por esse motivo ao ler esse livro tive problemas em aceitar se era realmente isso que ele diria entendem?
"O estar drogado, em contrapartida, é experimentado como uma fuga de si mesmo, e o prazer que acompanha essa jornada é um modo de escapar da realidade. A vida é difícil demais, a solidão é insuportável e qualquer esforço está além do nosso alcance, então fugimos. Essa fuga pode culminar em uma forma de suicídio. Trata-se de uma experiência que nada tem a ver com o prazer nascido de um encontro com a realidade e a harmonia "
 
     O livro tem sua complexidade, Jean escreve bem e fala de um modo que causa conforto, é aquela escrita que te causa uma boa sensação – bem ao estilo autoajuda, mas a essência do livro é causar reflexão sobre a vida, a busca pela felicidade, nossas relações de amizade e sobre autoconhecimento e crescimento.
Nota:

2 comentários:

  1. Vim pelo eu insisto, seu blog é lindo e bem escrito. Acompanharei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AI MEO BUDA!!! que lindo, que amor, que fofura amei amei, volte mesmo, acompanhe mesmo que me fará muito feliz viu? Obrigada pelo elogio \o/

      Excluir

Tecnologia do Blogger.