Pensei que fosse verdade de Huntley Fitzpatrick

Título: Pensei que fosse verdade
Autor: Huntley Fitzpatrick
Editora: Valentina
Ano: 2016
Páginas: 336
Skoob: Adicione
Sinopse:  Um passado a ser esquecido. Um presente nada promissor. Um futuro a ser conquistado.
“O PARAÍSO À BEIRA-MAR.”
“O SEGREDO MAIS BEM GUARDADO DA NOVA INGLATERRA.”
A ilha de Seashell, onde passei minha vida inteira, é tudo isso e muito mais. No entanto, a única coisa que eu quero é ir embora daqui.
Gwen Castle nunca quis tanto dizer adeus à sua ilha natal quanto agora: o verão em que o Maior Erro da Sua Vida, Cassidy Somers, aceita um emprego lá como faz-tudo. Ele é um garoto rico da cidade grande, e ela é filha de uma faxineira que trabalha para os veranistas da ilha. Gwen tem medo de que esse também venha a ser o seu destino, mas, justamente quando parece que ela nunca vai conseguir escapar do que aconteceu – ou da ilha –, o passado explode no presente, redefinindo os limites de sua vida. Emoções correm soltas e histórias secretas se desenrolam, enquanto Gwen passa um lindo e agitado verão lutando para conciliar o que pensou que fosse verdade – sobre o lugar onde vive, as pessoas que ama, e até ela mesma – com o que de fato é.


   Começo essa resenha dizendo que a melhor coisa que fiz em relação a esse livro foi não criar muitas expectativas, não porque o livro é ruim, pelo contrário, ele é bom, mas todas as outras vezes que criei expectativas com leituras esse ano me decepcionei, e com esse felizmente tive uma leitura bem proveitosa.
     Gwen Castle é uma adolescente de classe média que mora e uma pequena ilha com seu pai que é dono de um pequeno restaurante, sua mãe que é empregada doméstica, seu avó, seu primo e seu irmão menor. Com o intuito de ajudar a família que não tem boas condições financeiras Gwen decide trabalhar como acompanhante de uma senhora bem rica da ilha, e além disso deve aprender a lidar com todos os problemas familiares e também superar um segredo do passado que a perturba até hoje.
      Em agosto fui convidada pela Editora Valentina para participar da leitura em conjunto desse livro, estou tentando sair da minha zona de conforto nas leituras e achei que ele iria se encaixar bem nisso e realmente acertei em cheio. O livro é cheio de personagens caricatos e prefiro não contar muito sobre cada um deles porque conhece-los aos poucos e uma das poucas magias ou empolgação que o livro traz, então vamos ao básico: Gwen tem um segredo que guarda pra si, esse segredo envolve outra pessoa mas tirando isso ela é uma adolescente comum com problemas de adolescente porém muito responsável e companheira; Nic (primo de Gwen) é aquele personagem que você meio que gosta e meio que é indiferente – mais gostar é o sentimento mais intenso em relação a ele eu diria; Cass ( pessoa envolvida em tudo) é o típico garoto rico, atlético e bonito, aquele que todas são apaixonadas, um personagem fofo e gentil mas que poderia ser mais; Emory (irmão mais novo de Gwen) a fofura e meiguice do livro e com toda certeza o que mais me instigou na história.
“Nunca pensei que as ‘histórias dos outros’ se aplicariam a nós três. Nós somos as histórias um dos outros.”
       Apesar do livro ter como premissa um grande segredo que Gwen suspostamente deve superar eu realmente não achei que ele era parte importante do livro, descobri o que era nas primeiras 50 páginas e isso não me decepcionou porque no inicio da leitura imaginei o que podia esperar do livro, e é nesse ponto que voltamos ao papo anterior de “não criar expectativas”, isso significa que não gostei? Pelo contrário eu aproveitei bastante a leitura, a escrita de Huntley é leve e fluída, a história tem momentos meio bobos e um pouco dramáticos demais pra mim, porém os personagens e sua composição na história são tão reais e criveis que torna a leitura bem prazerosa.
      Pensei que fosse verdade é um livro sobre pessoas, sobre lidar com situações ruins, sobre classes sociais e pré-conceitos criadas dentro das mesmas, sobre como garotas podem lidar com o machismo subscrito da sociedade (principalmente quando provém diretamente da familia) e também sobre perdão. É uma leitura simples, quase boba, mas muito boa, um livro despretensioso pra se ler num dia de tédio dessa agitação que é a vida.
Nota:

8 comentários:

  1. Acho que meu problema ultimamente é que venho criando expectativas demais. Para com isso.
    Enfim, curti sua resenha amiga, parabéns pelo trabalho.
    Nao sei se leria ele por agora a fila ta enorme mas... Nao irei desconsiderar.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    Achei super legal a iniciativa de uma leitura coletiva por parte da editora com essa obra, mas não participei.
    Achei a premissa do livro bem interessante, assim como os temas abordados.
    Acredito que nos faça refletir sobre como lidar com situações ruins e as adversidades que a vida nos apresenta.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá Paac, é bom quando não criamos e expectativas e podemos apreciar melhor a leitura *-* Parece ser um livro simples e leve, vou anotar a dica *-*

    http://meumundo-meuestilo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. oi ^^
    geralmente tento não criar expectativas sobre os livros, assim vou lendo de boas e acabo aproveitando bem mais. porém não me interessei nenhum pouco pela história do livro, não é muito meu tipo de leitura e pra evitar abandono, prefiro passar a leitura. Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  5. Oie
    eu to louca para ler o livro apesar da capa não ter me atraido, tenho um da autora aqui mas ainda não li, bem legal sua resenha e que pena que alguns pontos deixaram a desejar

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, Paac!
    Não sei se eu compraria esse livro não. Até leria, mas acho que também sem muitas expectativas. Não gosto de história previsiveis, mas acxhei o tema de certa forma até pertimente.
    Bjus

    ResponderExcluir
  7. Oie
    Deve ser uma leitura bem bacana. Confesso que leituras com momentos bobos e dramáticos estão me ganhando. Devido a uma carga de leitura dark
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    Lendo sua resenha me lembrei de vários plots de novelas mexicanas. Mas isso não é algo ruim, já que curto uma novela e tal... Só achei uma pena o segredo ser bem qualquer coisa, se tivesse sido trabalhado mais creio que teria ficado mais interessante.

    http://euinsisto.com.br

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.