Big Fish & Begonia


Título: Big Fish & Begonia
Gênero: Animação, Fantasia
Direção: Xuan Liang, Zhang Chun
Produtora: B & T Studio | Studio Mir
Ano: 2016
Assista: Netflix 


   Uma obra linda e incrivelmente filosófica, um pedaço da cultura chinesa e das lendas. Um filme que me deixou completamente extasiada.


    Em um mundo paralelo ao nosso, bem abaixo do fundo do mar existe um universo de seres que controlam a natureza do mundo humano, nesse universo vive a jovem Chun, que acaba de completar 16 anos e vai precisar fazer o ritual, que consiste em visitar a realidade humana e conhecer como a natureza funciona. Encantada com as belezas que encontra, a jovem Chun conhece um humano, o jovem Kun, que ao tentar salvar sua vida acaba morrendo. Devastada por ter sido a culpada pela morte do jovem, Chun decide fazer algo a respeito, e gora precisará proteger a alma de Kun e lidar com as consequências de suas escolhas.


    Esse filme estava na minha lista a meses e não ter assistido antes foi um dos meus erros, já que agora o considero um dos melhores que já vi na vida. Uma obra que traz as filosofias taoístas, as divindades chinesas da natureza e a morte como um momento natural, não poderia ser deixada de lado. De modo poético vamos conhecendo Chun, Qiu e Kun, assim como um pouco dos outros seres mágicos desse universo paralelo ao nosso.


    A animação trabalha seus personagens do melhor modo possível, e como é característicos de obras orientais vemos muitos sacrifícios, assim como também crescimento. Cada personagem a seu modo encanta, são o perfeito reflexo daquilo que esperamos quando falamos de seres mágicos, assim como de seres vivos e divinos. Chun, Qiu e Kun passam por diversos infortúnios para conquistarem – ou não, aquilo que desejam.



    Falar sobre a morte como um processo natural em uma animação não é simples, mas isso Big Fish & Begonia faz de modo lindo e sensível, trazendo não somente o próximo passo desse momento, mas também a filosofia por trás desse momento que gera angustia. Um filme lindo de visto pelas cores fortes e vivas, quanto pelo espetáculo do irreal que é essa história tão mística.

   Eu me emocionei muito assistindo o filme e até chorei haha, é uma história linda, filosófica e mística, que encanta os olhos e deixa as reflexões. 


Nota:








Nenhum comentário:

Postar um comentário

@bardaliterária