Sim, sou gay... E daí? de Valdeck Almeida


Título: Sim, sou gay... E daí? - Desabafos do gay Alice no País das Maravilhas
Autor: Valdeck Almeida de Jesus
Editora: Chiado 
Ano: 2012
Skoob: Adicione

Sinopse: Faço aqui um convite à seguinte reflexão: o que é essa Ordem Estabelecida senão um grupo de pessoas que se acham no direito de julgar, criticar, ofender, discriminar, pisar? E, sendo assim, dá para levar a sério esses “pseudoguardiões da ordem?”
O livro de Valdeck Almeida dá um chute no preconceito, um “passa fora” no conformismo e uma porrada na hipocrisia velada que impera em nossa sociedade heteronormativa. Enrustidos, tremei! Hipócritas, calai-vos! Falsos moralistas, preparai-vos! “Santinhos-do-pau-oco”, cuidado! Com “doses cavalares” de sinceridade, coragem e ousadia, Valdeck nos apresenta relatos que traduzem a verdade nua e crua das experiências – e das tentativas de felicidade – de um ser humano que quer mostrar o quanto é importante sermos honestos conosco mesmos e com as nossas escolhas! E o quão devemos estar preparados para as consequências. Aliás, mais honesto impossível! E o autor foi transparente, intenso, ousado, corajoso, perspicaz, sensual, apaixonado... E “arretado”!

   Sim, sou Gay...e daí? Pode ser tudo menos entediante, alguns pontos da leitura podem ser um pouco cansativos por excesso de descrição, mas a história envolve de tamanha forma que me vi hipnotizada pela aventuras e desventuras de André.
  Nesse livro curioso, meio biográfico e meio fantasioso vamos acompanhar as aventuras de desventuras de André, um homossexual que está em busca não só do amor mas também de si mesmo (porém no início ainda não sabe disso). Acompanhamos sua vida desde a infância com os preconceitos que sofria dos colegas, as namoradas que teve e amou antes de conseguir assumir sua sexualidade e seus erros e acertos durante a vida que acabaram contribuindo para que ele se tornar-se uma pessoa melhor e compreendesse a si mesmo.
“Dividíamos o mundo dos adolescentes entre Viados e Anjos-do-Senhor: os viados seriam as criaturas silenciosas e tímidas, com relações sociais escassas; e os Anjos-do-Senhor aqueles com a braguilha aberta e as picas balançando, pra chamar a nossa atenção sobre como um homem de verdade deve se comportar. ”
   O livro tem momentos cansativos na narrativa, talvez porque durante o início acompanhamos a história contada de forma descontraída e engraçada, quase como se conversássemos com um amigo, mas em alguns momentos ele explicava muito sobre determinada coisa e isso se tornava cansativo pelo excesso de detalhes, porém é fascinante como o personagem reflete de forma crítica sobre as pessoas, suas atitudes e comportamentos abusivos e preconceituosos (que muitas vezes eram contraditórios as opiniões que os mesmos esbanjavam aos quatro ventos) em um tom tão questionador mas ainda assim engraçado, é fácil compreender suas dúvidas e críticas sobre tudo e ainda assim sentir o peso disso mas sem estar lendo algo incomodo ou chato. As reflexões que André faz sobre si mesmo, suas descobertas e redescobertas sobre o que busca são tocantes, é quase como se estivéssemos dentro de sua cabeça, fazendo parte daquela confusão e dor e depois passando pela sensação de “finalmente me encontrei”junto do personagem, sendo um pedaço de André.
“Alice, no jargão gay, é uma gíria utilizada para se referir aos homossexuais facilmente enganáveis. Aqueles que, assim como a personagem deste livro, fazem tudo por amor e se dedicam aos seus parceiros, tentam agir de modo correto, e acabam, invariavelmente, vitimados pela maldade alheia”.

   Não é sempre que me sinto presa a um livro com um “quê” biográfico, e confesso que de início achei que era exatamente isso, porém no final e depois de tantas desventuras que parecem cena de filme acredito que fui enganada por um bom autor de ficção, um autor que sabe escrever e conversar, apenas com sua escrita. 

Nota:


28 comentários:

  1. Oi Paac! Tudo bem? Eu tenho parceria com a Chiado e nunca vi falar desse livro, mas achei muito interessante o tema, pois quebra e muito os paradigmas do preconceito, quem dera todos fossem assim como o autor, que fala tão bem desse assunto.

    Sua resenha é demais! Parabéns.
    Atenciosamente Um baixinho nos Livros.

    ResponderExcluir
  2. Já tinha ouvido falar do livro pela forma espontânea como aborda o tema. Parece bacana, com certeza vai fazer muita gente pensar de novo. Gostei da resenha!

    Carolina Gama

    ResponderExcluir
  3. Apesar das partes mais tediosas que você citou, eu fiquei com muita vontade de ler. Fiquei genuinamente curiosa, sabe como é? De início eu achei o título ruim, capa também ruim, mas com isso eu consigo lidar, é fácil superar. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. mesmo com as parte tediosas é maravilhoso...

      Excluir
  4. Hey, Paac!

    Apesar de você ter gostado tanto do livro, ele não faz meu estilo de leitura.
    Vou deixar passar esse.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi Paac, não conhecia esse livro, mas fiquei bem curiosa para conferir, ainda mais depois de ler seus comentários. A capa não me chamou muito a atenção, mas a premissa sim. A temática é maravilhosa e espero poder ter a chance de fazer essa leitura.
    Beijos, Fer ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. a premissa é boa, mas o livro é maravilhoso

      Excluir
  6. Oiii Paac, tudo bem?
    Sou completamente louca para ler este livro, já vi algumas resenhas e me apaixonei de todas as maneiras, é um livro para refletir e debater até com outras pessoas por tanta grandiosidade do tema abordado.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  7. Eu acho o livro interessante pelo tema, mas acho que a narrativa não me prenderia e provavelmente eu largaria a leitura na metade.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá Paac tudo bem, o título é bem direto e sugestivo, não é o tipo de leitura que estou familiarizada, mas com certeza é uma dica interessante, mesmo sendo uma leitura descritiva. Gostei da resenha. Bjkas

    ResponderExcluir
  9. Oie
    acho que já tinha ouvido falar no livro uma vez e lembro que adorei a premissa, o livro parece ser muito interessante e fiquei mega curiosa, espero com certeza ler em breve e curtir

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Para um livro que beira a biografia, ter muitos momentos detalhados acaba entediando mesmo. Achei a premissa do livro ótima para a época atual. Dá um certo orgulho ler livros assim, que desmistificam e ensinam. E a capa é linda, bem colorida! Que bom que gostou da leitura!
    bjs!

    ResponderExcluir
  11. oi ^^
    adorei a premissa do livro e mesmo quase beirando a biografia eu fiquei bem interessada.
    acho que vou dar uma olhada no livro assim que der, apesar de não ser muito o meu estilo favorito de leitura, acho que ai ser bom conferir. Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  12. Oi Paac, tudo bem?
    O livro parece ser muito bom. Estou bem curioso para lê-lo. O autor aparenta ter muito talento para escrita.

    ResponderExcluir
  13. Oi Paac!
    Simplesmente amei a premissa desse livro, trata de um gênero que ainda gera muita polemica, mas de uma maneira mais descontraída. Preciso pra ontem!

    Beijos
    http://ummundochamadolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Gente achei a capa desse livro muito, muito feia! Podiam ter caprichado mais neh?!
    Apesar de ele abordar um tema bacana sobre a sexualidade o fato dele ser tão arrastado fez com que eu perdesse o interesse na leitura.
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. acho que a capa revela bem o intuito do livro, eu gostei kkkkkkk

      Excluir

Tecnologia do Blogger.